segunda-feira, 21 de abril de 2014

FII BM CYRELA THERA CORPORATE - THRA11B









O fundo é administrado pela BTG Pactual em regime de condomínio fechado, com prazo de duração indeterminado.

Seu objetivo foi a aquisição de cinco andares do Edifício Thera Corporate (SP), um prédio Triple A, com lajes de grande porte e certificação LEED.

DADOS FUNDAMENTALISTAS:

PREÇO: R$ 69,00

P/L: 7,7

P/VP: 0,63

DY: 12,9%

RENDIMENTO/COTA: R$ 0,75

Possui Renda Mínima Garantida (RMG) de R$ 0,75, durante o período de obras, mais 12 meses após a obtenção do habite-se; a previsão de entrega do imóvel é em Agosto/2014.





Edifíco Thera Corporate em fase de acabamento



Para maiores informações acesse o link: TETZNER















7 comentários:

  1. Gaucho, vc posta pra caramba e com qualidade. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. IV, qual sua opinião sobre compra de FII em fase de acumulação somada com o sempre presente risco em o governo acabar com o benefício tributário para PF? Ano passado comprei poucas XPCM11 e estou satisfeito com os alugueis recebidos. Entretanto parei de investir para fazer uma estratégia de "fazer o bolo crescer" para depois me preocupar com fluxo de rendimentos. Enfim, sua opinião...

    Mutley

    ResponderExcluir
  3. Sim,a longo prazo o maior retorno vem do investimento em ações de crescimento rápido. Nada te trás tanto retorno quanto isto. Basta ver a valorização da EZTC3 nestes últimos 10 anos. Nem mesmo os FII com DY de 14% + reinvestimento de dividendos poderia te dar um retorno maior do que as ações de crescimento. Por isto no começo, você deve ter em carteira uma fração grande de Ações em Relação a FIIs. Depois quando seu capital estiver grande o suficiente para você poder viver de dividendos, você pode alocar uma percentagem maior da carteira aos FIIs.

    ResponderExcluir
  4. Em relação aos viados do governo interferirem ou não nos FII existe a probabilidade sim. Mas mesmo sendo viados, eles ainda possuem cérebro e nunca vão tributar um negócio de maneira a sufocar este negócio. Se você tiver uma galinha dos ovos de ouro, você nunca vai querer matar a galinha, pois senão vai deixar de ganhar os ovos. Basta ver a maneira que eles tributaram a AMBEV durante os últimos 10 anos. Eles tiram uma porcentagem muito pequena do lucro da empresa, de maneira a deixar a empresa respirar, crescer e ter alegria para continuar sua caminhada. Não teria sentido sangrar uma empresa, sabendo que no futuro o crescimento dela possa te dar mais dinheiro do que você jamais sonhou. Imagina, também não acontece nem no Banco do Brasil e a CEMIG que são empresas do Governo. Quanto mais nas privadas.

    ResponderExcluir
  5. Tem razão. A minha preocupação é com o governo (vejo isso de igual maneira caso aecio vença) ao dar uma resposta à política fiscal frouxa e ao crescimento da inflação acabar com a alíquota 0 para os FII como parte de um pacote popular que seria visto com bons olhos para grande parte da população e da mídia. Penso em esperar até uma estabilização na nossa política econômica para investir em FII. Aproveitando sua boa vontade, o que acha da GETI3 em comparação à TAEE11, sabendo das diferenças de que a ultima é exclusiva para transmissão mas como oportunidades atuais de investimento n ramo de energia com alta margem de segurança?

    Mutley

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entre a GETI e a TAESA eu prefiro a GETI. Para entrar na TAESA eu esperaria para ver se a Dívida/LL que já é de 4,70 aumentaria ou diminuiria, já que durante estes últimos 6 anos a empresa não se preocupou em virar a curva deste parâmetro para baixo. Se esta curva continuar seguindo a tendência dos últimos 6 anos a dívida entrará numa fase chamada de "Impagável" e a empresa quebra. Se a governança da empresa decidir mudar esta curva e eu notar que de 4,70 irá para um numero menor e assim por diante nos próximos anos, então eu aconselharia entrar como sócio na empresa.

      Excluir